sexta-feira, 8 de abril de 2016

Histórias de Imagens, de Robert Walser

Départ du Soldat Suisse de Sigmund Freudenberger

Esboço sobre 'Départ du Soldat Suisse'

A casa rural, coberta de palha,
ela ainda lhe dá algo
para comer pelo caminho.
“Não me tornes maior
o peso da ausência”,
diz ele à noiva vestida com primor,
que já não o olha nos olhos,
agarra‑se só ao seu peito,
até ele sair de cena,
pois tem de marchar, partir.
Os velhos estão à parte, perplexos,
afectados,
esperando, contudo,
que o inconcebível se clarifique,
ele volte para eles.
Ela combate corajosamente as suas lágrimas,
enquanto ele a preferiria como mulher,
não se protegendo tanto do sentir.
Já coloca um pé na barca,
o vermelho da sua farda
ainda os honra por um momento, à distância,
porém os passarinhos na árvore
cantam, que sejam pacientes,
é também esse
o seu hábito.
O que é que não terá para contar,
se os deuses, com suas mãos e seus olhos
em tudo, lhe permitirem regressar,
que enorme alegria vos dará.
Qual é a vossa propriedade?
A casa e o que está em redor,
na terra, movendo‑se silenciosa,
há muitos, muitos anos,
em volta do grande sol.
O que está parado,
só o está aparentemente.
Ela vai então trabalhar, contente.

Histórias de Imagens, de Robert Walser
(trad. Pedro Sepúlveda)

Sem comentários:

Enviar um comentário