segunda-feira, 7 de março de 2016

Escritos sobre arte, de Paul Klee

Os caminhos do estudo da natureza

«O diálogo com a natureza é condição sine qua non para o artista. O artista é um ser humano, é natureza e uma parte da natureza no espaço da natureza.
O número e o tipo de caminhos a percorrer, tanto na produção artística como no mundo da natureza que lhe está associado, mudam apenas com a atitude do ser humano no que se refere ao seu raio de alcance adentro deste espaço.
Os caminhos, muitas vezes, parecem novos, talvez sem, no fundo, o serem. Apenas a sua combinação é nova; verdadeiramente novos, eles são-no quando comparados com o número e o tipo de caminhos de ontem.
Mas, ser novo em relação a ontem é, ainda assim, uma característica revolucionária, ainda que isso não chegue para abalar o grande mundo do passado. Por isso, a alegria trazida por essa novidade não precisa de ser diminuída; a vasta memória histórica apenas deve servir para evitar que procuremos à viva força uma novidade à custa da expressão natural.»


Escritos sobre arte, de Paul Klee
(Tradução de Catarina Pires e Marta Manuel, com revisão de João Barrento)

Sem comentários:

Enviar um comentário