quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Da Velhice, Cícero



«Não tem a velhice um fim determinado. Enquanto desempenharmos e honrarmos os nossos próprios deveres, assim como desprezarmos a morte, viver-se-á razoavelmente na velhice. Por isso é ela mais espirituosa e mais forte do que a juventude. Tal foi o que Sólon respondeu ao tirano Pisístrato quando este lhe perguntava em que se apoiava para ter a audácia de o enfrentar - diz-se que terá respondido: "na velhice". Mas, o melhor fim para a vida é quando a natureza põe ela mesmo termo à sua própria obra, encontrando-se ainda intactas as faculdades mentais. Assim como se destrói facilmente um navio ou um edifício que se construiu, do mesmo modo destina a natureza um fim ao homem, o qual superiormente gerou e, se toda a estrutura recente custa a ruir, a velhice facilmente se desmorona por si. Não devem os velhos apegar-se ao último momento de vida nem desistir dele sem qualquer motivo.»


Da Velhice, Cícero
(Tradução do latim de Carlos Humberto Gomes)

Sem comentários:

Enviar um comentário