sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

A Festa de Mrs Dalloway, de Virginia Woolf


O vestido novo
As Horas (2002), Stephen Daldry

«Mabel teve a primeira séria suspeita de que algo de errado se passava quando tirou a capa e Mrs Barnet, ao alcançar-lhe o espelho e ao tocar na escova, chamando-a assim à atenção, talvez exageradamente, para todos os utensílios destinados a dar um jeito ao cabelo, tez, roupas, existentes na mesinha do toucador, confirmou a sua suspeita - que não estava bem, que não estava nada bem, e que aumentava à medida que subia as escadas até surgir com convicção no instante em que cumprimentou Clarissa Dalloway; logo se dirigiu ao ponto mais distante da sala, a um canto na sombra onde estava um espelho e olhou. Não! Não estava "bem". E de imediato a angústia que sempre tentava ocultar, o profundo descontentamento - a sensação que tivera, desde criança, de ser inferior às outras pessoas - instalou-se nela, implacável, desapiedadamente, com uma intensidade que não conseguiu repelir, como sucedia quando acordava de noite em casa, lendo Borrow ou Scott; pois, oh, estes homens, oh, estas mulheres, todos eles pensavam - «O que é que Mabel traz vestido? Está horrível! Que vestido novo mais feio!» - com suas pálpebras pestanejando ao erguerem-se, para logo de seguida se cerrarem.»


A Festa de Mrs Dalloway, de Virginia Woolf
*Tradução de Mário Avelar


Sem comentários:

Enviar um comentário