terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Ano Novo


Não estás comigo e tanto quanto sei
Podes nem ter sobrevivido.
O mau tempo «está quase a passar»
Como tu dizias
E assim foi.
Criança perdida,
Olha para ali: estes trinta e tal metros
De terra sem préstimo, ainda fortificada
Contra os estranhos, já viram melhores dias:
As árvores a que não conseguias subir,
Exausta, aparecem burlescamente hirsutas
Contra uma parede de céu inexpressiva e sombria.
Casas tão longe de casa.

Tanto quanto me é dado ver, nem isso
Nem nós, meu amor, nos importamos muito
Com a próxima perda:
Mais um lapso do coração deliciado
Que desistiu de ti,
Mais um contentamento por que esperar, e esperar,
E esperar ainda; os relvados meninos
Que não devias ter pisado, semi-charcos
De um verde cintilante de humidade.

Ian Hamilton, Cinquenta Poemas
(trad. Nuno Vidal)

Sem comentários:

Enviar um comentário